O “todo poderoso” Bayern de Munique era o último concorrente da equipe celeste em séries invictas no futebol mundial de 1º escalão. Equipe bávara perdeu por 1 a 0 para o Hoffenheim e caiu em ‘ranking’.

O Cruzeiro é dono de uma marca para se orgulhar: são 20 jogos seguidos sem perder – a maior invencibilidade de um time do “primeiro escalão” do futebol mundial. Nenhuma equipe que participa das ligas de Alemanha, Argentina, Brasil, Espanha, França, Inglaterra, Itália e Portugal está há mais tempo sem ser derrotada que o Cruzeiro.

Após o jogo contra o Nacional-PAR, o Cruzeiro ampliou a série invicta em 2017 nesta terça-feira no Mineirão diante de sua torcida os apoiando os 90 minutos de jogo mesmo com um gol da equipe do Nacional/PAR nos minutos iniciantes da partida. A torcida celeste passou a gritar mais alto nas arquibancadas, empurrando o time. Foi ai que dois nomes resolveram chamar a responsabilidade na tentativa de modificar o cenário. Arrascaeta comprovou que vive a sua melhor fase com a camisa da Raposa. Atuando como atacante e com liberdade para atuar em diferentes funções, levou muito problema para os defensores do Nacional.

A campanha do Nacional do Campeonato Paraguaio não refletiu a atuação e organização demonstrado pela equipe no Mineirão, na noite de ontem diante do Cruzeiro na estreia da Sul-Americana. Com experiência típica dos clubes sul-americanos e até certa ousadia, a equipe paraguaia fez a Raposa precisar batalhar muito e contar com inspiração da dupla de meias para conseguir a importante vitória de virada por 2 a 1.

Na segunda etapa, o Cruzeiro voltou buscando o ataque. Mas mais uma vez ter a bola não significou oportunidades de gols para a Raposa. Desta feita, Mano Menezes promoveu a entrada de Ramón Ábila em lugar de Rafinha. E o treinador foi premiado. No primeiro lance que teve, o argentino ganhou no corpo do zagueiro e virou a partida.