Cruzeiro começou muito bem o Campeonato Brasileiro. São sete pontos nas três primeiras rodadas. Nos dois últimos jogos, contra Sport e Santos ambos fora de casa, foram quatro pontos. Neste domingo na Vila Belmiro, no 1 a 0 sobre o Santos, o técnico Mano Menezes montou o time num esquema diferente. Usou três volantes, dois meias e um atacante. O resultado foi bom. A vitória, apesar de magra, foi construída de forma tranquila, sem sobressaltos. O Cruzeiro foi melhor que o Santos na maioria do tempo.

A principal peça do Cruzeiro na partida deste domingo foi o argentino Ariel Cabral. Ele fez muita falta quando ficou fora, devido a uma cirurgia de drenagem na região pélvica. Sem Ariel, o time perdeu o título do Campeonato Mineiro e foi eliminado da Copa Sul-Americana. Com Ariel, o time voltou a jogar bem, tanto que está no G-4 do Campeonato Brasileiro, com aproveitamento perto de 80%.

Diante do Santos, o Cruzeiro esteve bem em todos os setores. A linha de quatro zagueiros foi segura. Dedé fez um primeiro tempo muito bom, mostrando que está recuperando a velha forma que o fez ganhar o apelido de Mito. Saiu no intervalo, com dores no joelho. Caicedo o substituiu e manteve o nível. Léo teve mais dificuldades, principalmente com a velocidade de Bruno Henrique, mas deu conta do recado.

Os três volantes foram muito bem. Henrique teve participação defensiva importantíssima e ajudou a anular os pontos fortes da criação do Santos. Ariel Cabral é fundamental para o time. E Hudson em vários momentos do jogo, ele aparece no ataque como um elemento surpresa.

O ataque também foi bem, ainda que tenha rendido menos que o esperado. O Cruzeiro teve muita presença ofensiva mas poucas finalizações. Rafael Marques teve boa atuação em sua primeira partida como titular. O camisa 15 se movimentou muito e não ficou preso à marcação. No segundo tempo, com as entradas de Ramón Ábila e Thiago Neves, o time cresceu muito. A dupla criou as duas jogadas mais perigosas do Cruzeiro no jogo. Em uma delas, saiu o gol da vitória, marcado por Thiago Neves.

Mais problemas médicos no Cruzeiro: o meia-atacante Arrascaeta sofreu torção no joelho direito e desfalcará o time por até dois meses. Por conta do problema, sentido durante a vitória por 1 a 0 sobre o Santos, o uruguaio foi desconvocado da Seleção Uruguaia.

Além da lesão no joelho direito. Arrascaeta sentiu dores no rosto e uma torção no pescoço. Os problemas foram detectados após uma “tesoura” por trás aplicada pelo colombiano Copete, aos 12 minutos do segundo tempo, uma falta que era pra cartão vermelho e o juiz deu cartão amarelo. O uruguaio até tentou permanecer em campo, mas deixou o jogo na maca e foi substituído por Thiago Neves. A lesão tira Arrascaeta de partidas importantes para o Cruzeiro na temporada. O meia-atacante ficará de fora do jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil, contra a Chapecoense, nesta quinta-feira. O time mineiro precisa de um empate em Santa Catarina para avançar.

Dedé sentiu dores no joelho esquerdo na partida contra o Santos. Para evitar um desgaste ainda maior, o defensor será preservado do jogo de volta contra a Chapecoense, nesta quinta-feira, às 21h30, em Chapecó, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. O problema, segundo o departamento médico do clube mineiro, ocorreu devido ao fato de o zagueiro exigir mais fisicamente da perna esquerda, especialmente em função da cirurgia que realizou na direita – situação considerada comum após esse tipo de procedimento.

“O Dedé saiu no intervalo do jogo, queixando de uma dor no joelho esquerdo, ou seja, diferente do joelho da cirurgia, isso devido à sobrecarga, por estar usando mais uma perna em relação à outra. Hoje ainda persiste com a dor, com um incômodo, foi medicado e está em tratamento. Conversando com o atleta e com a comissão técnica, nós optamos por retirá-lo da próxima partida. Ele se recupera e provavelmente retoma as atividades para a partida de domingo”, explicou Sérgio Freire Júnior, médico do Cruzeiro.

Mais não podemos deixar de fora a torcida cruzeirense, que mais uma vez deu uma AULA de torcida para a torcida do time rival, mais de 10 horas de viagens que valeram a pena. Parabéns às organizadas que marcaram presença, vocês fizeram a diferença cada segundo disputado desse belíssimo jogo!